sexta-feira, 3 de maio de 2019

Bolsonaro cancela viagem a Nova York,após ser chamado de "ser humano perigoso"



A Secretaria de Comunicação Social da Presidência divulgou uma nota nesta sexta-feira (3) na qual informou que o presidente Jair Bolsonaro decidiu cancelar uma viagem que faria a Nova York (EUA).Bolsonaro seria homenageado pela Câmara de Comércio Brasil-EUA, mas os locais escolhidos pela organização para a cerimônia se recusaram a receber o evento.

Além disso, empresas que patrocinam o evento desistiram de homenagear Bolsonaro, e o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, chegou a pedir a um dos locais escolhidos que não recebesse o presidente por considerá-lo um "ser humano perigoso".

“Em face da resistência e dos ataques deliberados do Prefeito de Nova York e da pressão de grupos de interesses sobre as instituições que organizam, patrocinam e acolhem em suas instalações o evento anualmente, ficou caracterizada a ideologização da atividade”, diz nota assinada pelo porta-voz da Presidência da República, Otávio Rego Barros.




A homenagem a Jair Bolsonaro, feita também ao secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, gerou polêmica desde que o Museu de História Natural de Nova York passou a receber críticas por sediar a premiação. Enquanto o museu ainda não havia se pronunciado sobre o assunto, de Blasio usou uma entrevista a uma rádio para atacar o presidente brasileiro e pediu à instituição que cancelasse o evento. O Museu de História Nacional acabou decidindo não receber o prêmio em sua sede.







“Jair Bolsonaro é um homem perigoso. Seu racismo evidente, homofobia e decisões destrutivas terão um impacto devastador no futuro do nosso planeta. Em nome de nossa cidade, obrigado a @AMNH [Museu de História Natural] por cancelar este evento”, escreveu de Blasio no Twitter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário