terça-feira, 21 de abril de 2020

Prefeito de Manaus chora e critica Bolsonaro "assuma seu cargo " “Estamos a beira da barbárie”

Prefeito de Manaus chora e critica Bolsonaro. “Estamos a beira da barbárie”

Da Folha de São Paulo- O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB-AM​), afirmou que a capital do Amazonas está “em ponto de barbárie” com a pandemia de coronavírus. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, publicada nesta terça-feira (21), ele chorou e criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro.

Os números oficias apontam, até o momento, 1.664 casos confirmados de coronavírus e 156 vítimas fatais na cidade. No entanto, Virgilio diz que 17% das 122 pessoas enterradas em Manaus no último domingo (19) morreram em casa. Na segunda (20), a taxa subiu para 36% de 106 mortos. Ou seja, o avanço da pandemia é maior do que o registrado no balanço oficial.

Virgílio criticou as atitudes do presidente Jair Bolsonaro e disse ser contra o fim do distanciamento social e a retomada das atividades econômicas na região.

— Sou contra as ideias do presidente da República. 

O presidente não poderia nunca ter participado de uma carreata, juntando pessoas e, com um motivo torpe, pedindo um AI-5 — disse, bastante comovido.

“Queria dizer para ele que tenho muitos coveiros adoecidos. 

Alguns em estado grave. Tenho muito respeito pelos coveiros. Não sei se ele serviria para ser coveiro. Talvez não servisse. Tomara que ele assuma as funções de verdadeiro presidente da República. Uma delas é respeitar os coveiros”, afirma Virgílio. Ao falar sobre esses funcionários, começou a chorar.

“Não fui criado sob essa lógica do ‘homem não chora’. Nessa crise tem acontecido isso. Às vezes, consigo controlar. Não que precisasse controlar. Muitas vezes, não consigo”, afirma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário