segunda-feira, 29 de junho de 2020

Nomeação de Decotelli é cancelada após fraudes

Bolsonaro desiste de nomear Decotelli para a Educação, após fraudes em currículo 

Veja - Um importante auxiliar de Jair Bolsonaro ouvido pelo Radar há pouco confirmou que o presidente desistiu de nomear Carlos Alberto Decotelli para comandar o Ministério da Educação.

“O presidente já procura um novo nome para o ministério. Infelizmente, a avaliação é de que não há como seguir com Decotelli. Se mente no currículo, pode mentir em tudo. Confiança é algo crucial”, diz o ministro palaciano ao Radar, sob a condição de anonimato.

O próximo nome será escrutinado com mais cuidado pelo Planalto, que não chegou a fazer as sondagens mais criteriosas sobre o currículo de Decotelli. Segundo o ministro ouvido pelo Radar, Bolsonaro manterá o critério técnico na escolha.

Na semana passada, o reitor da Universidade Nacional de Rosário, na Argentina, Franco Bartolacci desmentiu o currículo de Decotelli. No documento, disponível na plataforma Lattes, constava que o novo ministro tinha diploma de doutor pela instituição. O reitor negou.

À TV Globo, Bartolacci disse que o novo ministro até iniciou o doutorado na universidade argentina, mas não concluiu o curso.

Depois da declaração do reitor, Decotelli alterou o currículo. Originalmente constava a informação de doutorado na Universidade Nacional de Rosário concluído em 2009, com a tese "Gestão de Riscos na Modelagem dos Preços da Soja", sob orientação de Antonio de Araujo Freitas Jr.

Na sexta (26), o título da tese e o nome do orientador foram excluídos. O campo "Título" foi preenchido com "Créditos concluídos". E, no campo "Orientador", passou a ser listado: "Sem defesa de tese".