sexta-feira, 24 de abril de 2020

Bolsonaro desafia Moro,e exonera diretor-geral da PF no meio da madrugada

Bolsonaro exonera diretor-geral da PF em meio a confusões com Moro

Sergio Moro afirmou na quinta ao presidente Bolsonaro ,que deixaria o governo se o diretor-geral da PF fosse demitido.

O diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Leite Valeixo, levado ao cargo pelo ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro foi exonerado do cargo nesta sexta-feira (24). O decreto foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e foi publicado no Diário Oficial da União.

O ato é de "exoneração a pedido". Na prática, Valeixo deixa o comando da PF por determinação de Bolsonaro.

Maurício Valeixo estava na direção geral da Polícia Federal por indicação do ministro da Justiça, Sergio Moro. Aliados do ministro afirmam que ele não deve ficar na pasta uma vez confirmada a demissão de Valeixo.

"É o momento ideal. As pessoas estão preocupadas se vão viver, se vão voltar a trabalhar, se vão comer, não estão pensando no comando da PF", avaliou à coluna um experiente delegado da corporação, contrário à demissão.

Juízes federais, amigos de Moro, dizem que ele está no limite e que não quer manchar a biografia. Avaliam que uma porta de saída será a vaga no STF, a ser aberta ainda neste ano, com a aposentadoria de Celso de Mello.


4 comentários:

  1. De um lado, um defendendo o filho gay mentiroso, do outro lado juizes defendendo que moro nao manche sua bibliografia, que é mais cagada que pau de galinheiro, esse governo é uma comédia!

    ResponderExcluir
  2. Monte de bosta, todos da mesma latrina se merecem por inteiro

    ResponderExcluir